Último fôlego de Tiago Peixoto

Depois de ter torrado milhões dos cofres públicos para a mídia não divulgar as verdades sobre a greve; Marconi Perillo já não vê outra saída, a não ser admitir que há, sim, problemas no plano de carreira votado através de manobra excusa. Plano esse que muitos deputados da base governista vêm, nas últimas semanas, confessando que foram enganados pelo discurso de Tiago Peixoto, que ao fazer a exposição do chamado “pacto” (aliás, que ele fez sozinho e pacto pressupõe diálogo), seja para os parlamentares, seja para a mídia sempre afirmava que era um projeto inovador, um plano de carreira para valorizar o profissional da educação, um plano para tornar a carreira mais atrativa, blá, blá, blá etc. Muitos deputados afirmam que devido a isso, eles votaram o projeto como estava e nem fizeram uma análise que o embrólio merecia. Resultado: educadores traídos, com direitos conquistados com muita luta, através de várias gerações de educares foram para o ralo.

Artigos  foram pagos; verdadeiras falácias escritas às pressas e enviados ao Diarreia da Manhã e ao Opopulaxo. Publicados por essas mídias como verdadeiros textos sagrados que deveriam ser lidos e adorados por toda comunidade como prova de que os professores estavam muito felizes, que os poucos insatisfeitos só podiam se tratar de candidatos infiltrados nas escolas e tentando desestruturar o governo do Marconinho e por tabela macular o suposto profissionalismo e visão futurista do Tiaginho. Entrevistas com perguntas estudadas em casa foram dadas nas rádios e principais tevês de Goiás. Engraçado, as perguntas e as respostas foram sempre as mesmas. Teve até um jornaleco que publicou que o projeto do governador seria copiado e recomendado para o Brasil todo pelo Ministro Mercadante (Diarreia da Manhâ). Mas os professores munidos da única força que sobrou depois do golpe vergonhoso contra o Plano de Carreira, depois de perderem gratificações conquistadas com muito estudo e sacrifício, depois de perderem todas as perspectivas de uma data base, depois de tentarem de todos os meios mostrar ao governo que tinham pontos que deveriam ser revistos pelo bem da categoria; foram obrigados a cruzarem os braços. O movimento foi crescendo como um estopim; a cada golpe de assédio moral de Tiago Peixoto o movimento grevista crescia. A comunidade foi cada vez mais entendendo que os professores só querem de volta seus direitos, não querem aumento de salário. Não querem o piso como foi exposto ao pobre juiz que num ato de inocência deu uma senteça sem analisar os argumentos em defesa dos sentenciados. Mas num ato de nobreza e honestidade o desembargador que relatou o recurso dos educadores afirmou que a greve é legal, que é o maior exemplo de cidadania no nosso estado nos últimos tempos.

Hoje, Tiago Peixoto tenta sua última cartada, que de tão previsível chega a ser um gesto infantil;  o chamado corte de pontos; manobra novamente anunciada com antecedência pelas indecentes mídias que esqueceram qual é o verdadeiro papel de um jornalista. O que Tiago Peixoto não sabia é que  todo educador já sabia que esse seria o seu maior ato de desespero. Agora, quando a partir de segunda-feira muito mais escolas aderirem ao movimento de paralisação. Só Deus sabe o que vai segurar Tiago Peixoto no cargo. E não haverá nada mais para impedir que Marconi corrija esse erro perverso e devolva todos os direitos que foram roubados dos educadores.

Por Cláudio Bertode

Comentários

  1. Maria Alves

    Obrigada pelo texto. Vejo este texto como “a luz no fim do tunel”. já que nas escolas praticamente não ficamos sabendo de nada. E que a justiça seja feita!

    1. Muito obrigado, Maria, sei que não posso fazer muito; por isso, faço o pouco que posso para esclarecer a comunidade.

  2. Fernanda

    Precisamos unir nossas forças para mostrar à sociedade quem são os nossos representantes. Temos urgência em poder escolher o Secretário da Educação. Fora Thiago!

    1. Concordo Fernanda, acho que mesmo que os professores não consigam tudo que estão reivindicando, ao menos que Tenhamos um Secretário de Educação que realmente entenda de educação.

  3. Gustavo

    Infelizmente qualquer um pode ser secretário de estado em Goiás. O Governo deveria analisar a capacitação de cada nomeado. Thiaguinho, você é uma fraude, um CRIME contra a EDUCAÇÃO!

  4. José Reinaldo

    Muito oportuno seu comentário. É fundamental a divulgação de textos como esse. Parabéns ao autor.

    1. Valeu José Reinaldo, são incentivos como esse que faz valer a pena dizer sempre a verdade; mesmo que muitos tentem ocultá-la a qualquer custo.

  5. Keila Alves

    Obrigado por noticiar a verdade embora isso seja obrigação
    . Até que enfim nós professores estamos recebendo a atenção que merecemops por parte a mídia.

    1. Uma coisa você pode ter certeza; eu não concordo jamais com a atitude do Governo do nosso estado. Sei que só com atitudes como a dos professores do estado ele vai ser pressionado a fazer o que tem de ser feito. Tomara que os educadores aguentem até conseguirem o que foi tirado deles na calada da noite.

  6. Adilon

    Parabéns principalmente pela visão que deixa claro a manipulação dos “jornais” em favor da manobra sórdida do governo…

    1. Obrigado, Adilon. Muito importante termos essa consciência crítica de que a imprensa é, sim, o quarto poder em um país. Desta forma, as empresas de comunicação tentam manipular a opinião dos leitores e enfiar por nossa goela abaixo os chamados factóides. Isso acontece toda vez que alguém liga o rádio, a televisão ou leem um jornal em busca de informação. Infelizmente, nem todos têm opinião crítica como nós.

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.