PT e PSDB: Rivalidade? Ou o desejo da CPI de Cachoeira virar cascata?

Em fim a CPI foi instaurada. Melhor ainda, para dar um ar mais democrático e organizado, criamos uma CPMI; uma comissão mista entre Senado e Câmara, juntos em prol de desvendarmos o esquema de Cachoeira e separarmos o joio do trigo dentro da política brasileira. Cortarmos de uma vez por todas essa erva daninha que se apossou de todos os âmbitos, de prefeituras, governos, ministérios, judiciário, empresas, mídias, dentre tantos outros. Tem joio em toda parte. Agora, essa luz, esse raiozinho que vem para iluminar nossa esperança tão castigada.

Gostaram do parágrafo acima? Eu também, mas são palavras vazias, ufanistas. É só o resquício de uma visão romântica de que existem boas intenções nas coisas. Estamos diante de um grupo que terá poder de inquerir, descobrir envolvimentos, que poderá indiciar, mas se vai punir culpados; isso não podemos ter certeza. Muitos partidos que compõem a CPI têm interesse que ela não faça o que deve fazer.

O que temos é o seguinte; nossa Presidenta deixará a CPI fazer seu papel? Ela será forte o bastante para deixar cortar em suas própria carne? Ou fará o que Lula fez, deixar correr. Fingir que não viu e que não está vendo nada. Ela estaria disposta a deixar um aliado como Agnelo tentar explicar o inexplicável que está acontecendo em Brasília? Deixará Rubens Otoni se explicar de verdade na CPI? Aliás, teria explicação?

E quem vai explicar o porquê de a Delta ter a maior cota de dinheiro público do PAC em suas mãos? Ainda tem o julgamento do Mensalão à vista. O judiciário vai deixar condenar os mensaleiros? A justiça tem seus próprios esqueletos no armário da corrupção. Estamos ficando sem saber em quem confiar nessa história toda. A posse de Ayres Britto assusta os que serão julgados?

Será que Dilma e PT e o PMDB planejam fazer o que o PSDB já demonstrou que vai fazer até o fim. Fingir que confia em todos os envolvidos. E deixar correr, torcer sempre para que a CPI não dê certo. Que ela acabe em pizza como muitas outras. Atitude louvável ninguém copia. Ninguém copiou a atitude do DEM que expulsaram até Governador, Arruda_DF, e Senador, Demóstenes Torres_GO. Se todos os partidos e instituições assim o fizessem nem precisaríamos de CPIs; tudo muito fácil, só afastar a pessoa do partido, deixar os inquéritos apurarem a verdade. E, se inocente, bom para o Brasil, mas se culpado; seria entregue à justiça.

A CPI já começou com esse clima de descrédito. Todos os partidos com interesses estranhos nela. Alguns, querendo vingança contra algum desafeto político. Outro, apenas querendo ficar perto para não deixar os trabalhos fluírem. A verdade é que o PT, PMDB e PSDB vão ter de mostrar que não vão fazer corpo mole durante os trabalhos da comissão. Já estão fazendo charminho ao tratar na mídia a respeito dos envolvidos. Fingem que confiam nos companheiros suspeitos, falam frases como “a verdade está com ele”, “Tudo vai se esclarecer!”, “Trata-se de um mal entendido”.

Dizem que é manobra política para manchar o partido. E a mídia está em queda de braço, petistas e peessedebistas se engalfinhando a toda parte. Como se os dois partidos não tivessem membros suspeitos diante dos fatos.

Os próprios meios de comunicação suspeitos, tentam plantar a sementinha da cortina de fumaça, desviar o foco. Plantar a dúvida. Aliados desse ou de outro político ficam nas redes sociais tentando abafar os escândalos.

Inocentes? São todos inocentes? Isso quer dizer que Carlos Cachoeira forjou telefonemas incriminando essa quantidade exorbitante de políticos. Quer dizer que tudo isso é uma incrível e insana coincidência? Dinheiros de campanha, em nível de caixa 2, na sala de estar de Cachoeira. 480 mil reais, via empresa de faixada de Cacheira, parceiria em avião, lista com nomes indicados para cargos no alto escalão do governo, assessor de gabinete afastado, presidente do Dentran afastado, Procurador do Estado afastado , contratos milionários com a empresa Delta, Secretário de Educação que teria passado projeto à Máfia de Carlinhos, 200 telefonemas de editor de revista semanal, jornal estadual que tem dinheiro para receber de máfia, parlamentares que têm relações suspeitas. Não podemos acreditar nas coincidências múltiplas nesse caso.

Temos muita gente que pode, sim, ser inocente, mas só se a CPI for séria. Que ela não seja apenas para inglês ver. Talvez por isso, jovens do Brasil todo estão indo às ruas pedir o fim da corrupção. A eles cabe a maior parcela do interesse num Brasil mais digno e limpo no futuro.

Tomara que com a pressão, desses cara-pintadas, os políticos que estão presidindo a CPI não façam corpo mole nem negociatas para, simplesmente, abafar tudo e jogar para baixo do tapete da corrupção mais uma vez.

 

 

Cláudio Bertode

S.O.S Voz

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.