PROFESSORES DE JARAGUÁ EM GREVE

PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE JARAGUÁ DECIDEM PELA GREVE.

 

Depois de mais de 2 anos tentando negociar uma saída com o Prefeito do município e diante da falta de diálogo e da incapacidade de cumprir os acordos firmados, professores não veem outra alternativa e, em assembleia, realizada hoje (16/11/2016), decidem entrar em greve por tempo indeterminado.

whatsapp-image-2016-11-08-at-12-37-53-1

Vários fatores levaram os educadores municipais a essa decisão, primeiro que não aceitam o argumento de que estejam buscando um direito no final de um mandato. Desde o início de 2015, foi montada uma comissão amistosa de professores para dialogar com o prefeito, aqui mesmo no nosso blog é possível encontrar postagens do ano passado e que comprovam que realmente os professores vêm tentando um diálogo. Ainda há a questão de que o prefeito não cumpre com o que fica acordado, até o momento não pagou o retroativo referente aos meses de 2015. Desde janeiro que não tomou providências quanto ao cumprimento da Lei Federal referente ao piso salarial de professores.

Segundo, os professores acusam a inércia da Câmara de vereadores em fiscalizar e apresentar projetos que regularizem a situação do município de Jaraguá. Muitos vereadores parecem desconhecer que uma de suas funções é a de fiscalizar junto ao executivo o cumprimento de leis. Inclusive, caso necessário, é de atribuição dos vereadores oferecerem denúncia contra o prefeito perante o Ministério Público. Em 4 anos nenhum dos vereadores foi capaz de apresentar um projeto ou tentar convencer ao prefeito a agir na legalidade.

Outra expectativa é a de que a população que conhece o bom trabalho desses profissionais do município possam ajudar a pressionar o prefeito a agir da forma correta e cumprir com a lei. Cada pai, cada mãe tem o dever de cidadão de fazer o poder público a oferecer condições de trabalho e cumprir com a obrigação e com o que a lei manda.

Mesmo com Sintego protocolando documentos junto ao Ministério Público de que realmente o prefeito está negligenciando a lei, até o momento as falas do Sr. Promotor foram muito discretas. O que se espera é que agora diante desse agravo da situação que o próprio Ministério, seja instrumento de mediação desse diálogo entre educadores e prefeitura para que possa ocorrer uma solução para esse impasse o mais breve possível.

Vamos acompanhar e aguardar o bom senso por parte dos poderes e que aceitem de vez que a lei é feita para ser cumprida.

 

 

 

 

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.