POSTURA DE VEREADORES DE JARAGUÁ REVOLTAM PROFESSORES AINDA MAIS

Mesmo sabendo que o prefeito teria retirado o projeto da Câmara, os professores da rede municipal resolvem dar um voto de confiança a casa de leis e foram para a assembleia na esperança de ouvir palavras de bom senso por parte dos integrantes daquela casa. Porém, o que aconteceu foi um terrível e desnecessário teatro de horrores.

O presidente da Câmara, Sr. Helcio Xuda, dá uma lição de como um presidente de Câmara não deve agir, além da falta de educação e urbanidade, chegou a dizer que os professores deveriam ter lutado antes por seus direitos. O que esse verborrágico Sr. não sabe, além de tantas outras coisas, é que até o cidadão mais desinformado do município tem conhecimento de que desde fevereiro de 2015 que uma comissão de professores tentam negociar uma saída com o Sr. prefeito e lutam desesperadamente por apoio dos vereadores para que se faça cumprir a lei de implantação do piso. Desta forma, não tem sustentação o argumento de que é uma ação de última hora. É uma tentativa justa e respeitosa, de mais de dois anos de tentativa de resolver de maneira educada e com diálogo. Mas ao que parece nem a prefeitura, nem a Câmara está preparada para dialogar.

Outros vereadores, desperdiçaram tempo na tribuna, com discursos completamente vazios, abrem a boca e afirmam que são a favor da causa de professores, mas nesses dois anos não moveram um dedo em prol de apresentar um projeto que legalize a situação de Jaraguá, nem ao menos tentou convencer o prefeito a sair da ilegalidade.

O que esses nobres seres não sabem é que a causa não é de professores, é deles, os vereadores, sim, deles, uma vez que estes são os responsáveis por fiscalizar e obrigar o prefeito a cumprir as leis. Inclusive, denunciando atos de desrespeito às leis por parte do executivo. Nenhum vereador de Jaraguá está apresentando real intenção de cumprir o papel e a responsabilidade que lhe foi conferida e  atribuída nas urnas.

Nem os de situação, muito menos os de oposição. Vereador não tem de esperar o projeto vir do executivo, tem por direito e por obrigação apresentar e defender projetos por conta própria.

Diante das falas absurdas e obtusas do presidente da Câmara e diante das falácias de alguns membros daquela casa, os professores continuaram em alerta de greve e marcaram assembleia para dia 16 de novembro de 2016.

 

 

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.