Lei da menor perda

É bem possível que vitórias não existam
nem glórias, nesse jogo,
cujas regras
nos forja em jogadores
ou nos força,
em lances do acaso, frágeis peças…

e então cartas marcadas sobre a mesa
fatos sociais,
a família,
o trabalho,
a igreja,

eis a verdade:
essa vida, é nada mais
que mero espectro da lei da menor perda…

A coisa sem nome é séria,
mármore frio
a ranger os dentes, no canto da sala

a jogada,
a escolha…
não há acerto
não pode; o dedo podre,
o riso possível…

e todos jogam, e todos choram
e ninguém vence
ao bel-prazer,
dança contente, o invisível…

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.