GO: 6 mil vão às ruas pedir saída de governador

GO: 6 mil vão às ruas pedir saída de governador

 

Manifestantes pedem a saída de Marconi Perillo

Embora, os números variem, O Popular dizendo 3 mil, jornal Anhanguera divulgando 5 mil; e Marconi Perillo soltando nota na imprensa dizendo que “respeita as formas de manifestação”, mas acusando de ser apenas uma “manifestação político-partidária” e que esse movimento não representa os anseios de todo o povo de Goiás; só cabe lembrar ao Governador que ainda assim o ato foi muito representativo. Qualquer um sabe que sempre tem um primeiro passo. Não se trata de conseguir colocar toda a população nas ruas logo em uma primeira manifestação. Até por que nem todos têm essa coragem. Mas foi sempre o jovem que fez a diferença nos momentos de necessidade de atos democráticos. Foi assim na época da Ditadura Militar, também foi muito importante quando os cara-pintadas pediram o “fora Collor”; não foi menor a importância quando alunos da UnB caminharam por Brasília pedindo providências contra o Governador Arruda; umas semanas depois, a CPI foi instaurada e culminou inclusive com a prisão de Arruda e seu afastamento do Governo do DF.


Voltando aos números; o que presenciamos é que tinham por volta de umas 6 mil pessoas. Não conseguiu-se os 15 mil que confirmaram presença pelas redes sociais; mas se alguns desistiram de ir à rua; não quer dizer que seu contentamento mudou. Foi um ato expressivo, sim, se tinha partidos pequenos de oposição é claro que tinha. A oposição tem o direito e o dever de lutar pela CPI, tem direito e dever de se manifestar. Sobre ser um ato político, claro que é. Todo ato em prol de combater a corrupção que tomou conta de nosso Goiás, é um ato político.

O que não podemos, em hipótese alguma é fingir que nada está acontecendo; fingir que está tudo bem. O Governo Marconi (PSDB) por baixo do pano exonerando um ou outro envolvido diretamente com Cachoeira, como a Chefe de Gabinete, o Presidente do Detran, hoje, foi exonerado Ronald Bica, o Procurador do Estado que empunhou um falso moralismo e saiu processando todas mídias que divulgavam matérias sobre o envolvimento do Governo com Cachoeira; e foi também listado pela Federal como um dos suspeitos de envolvimento.


Thiago Peixoto (PSD) citado nas ligações de Cachoeira; como quem passou projetos de escolas que depois de construídas seriam alugadas a preços superfaturados ao Estado. Em outra ligação cachoeira discute uma lista de 9 pessoas que seriam indicadas para a SEDUC. Carlos Lereia (PSDB) até admitindo que sabia das contravenções de Cachoeira, e flagrado em mais de 20 ligações com o contraventor. Rubens Otoni (PT) em vídeo combinando receber 200 mil da máfia de Carlos Cachoeira, o que no mínimo seria Caixa dois, uma vez que fica estabelecido que não poderá declarar esse valor. E a lista ainda tem Sandys Junior (PP), tem Stepan Nercessian (PPS) e tem Demóstenes (DEM). Para piorar o Governo vai ter muito o que articular nas próximas semanas, uma vez que o STF está intimando Marconi Perillo a explicar por que seu nome está muito muito citado nas ligações telefônicas de Carlos Cachoeira flagradas pela Federal.

Vamos torcer para que a CPI que será instaurada nas próximas semanas faça seu trabalho e possamos punir todos os culpados, para que futuramente, tenhamos novamente esperança de que a classe política de Goiás volte a ser respeitada.

 

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.