Contra a PEC 241: já chegam a 791 escolas e 74 Institutos Federais ocupados

 

Já são 74 Institutos Federais ocupados contra a PEC 241 no país

Em Goiás, estão ocupados 3 campus do IF Goiano (campus Urutaí, campus Iporá e o campus Ceres) e 5 campus do IF Goiás( o campus Águas Lindas de Goiás, campus Anápolis, campus Valparaíso, campus Goiânia e o campus Goiânia Oeste) os estudantes goianos organizam grande movimento, e assim, entram de vez na onda de protestos que vêm tomando conta do país, somando a essas ocupações, somando o Brasil inteiro, nossa lista já completa 74 institutos ocupados. Será que realmente é uma voz a ser ignorada ou continuar sendo ignorada?

 

As ocupações de escolas avançam, jovens estudantes mostram sua voz, voz que o Governo quer fingir que não é digna de ser ouvida, a mobilização e essas ocupações, foi a forma de protesto encontrada contra a PEC 241 e contra a mudança mal planejada no Ensino Médio.

Embora a grande mídia dê uma pequena notinha a respeito do movimento estudantil, estudantes do Brasil inteiro vem se unindo e se mobilizando de forma inteligente e contestadora.

http://www.esquerdadiario.com.br/

Veja abaixo a lista de IFs ocupados pelo Brasil até o momento: (Atualização da lista)

Campi ocupados
IF Alagoas: 4 campi
campus Satuba
campus Santana do Ipanema
campus Marechal
campus Palmeira dos Índios

IF Baiano: 3 campi
campus Valença
campus Catu
campus Santa Inês

IF Bahia: 3 campi
campus Conquista
campus Paulo Afonso
campus Valença

IF Brasília: 5 campi
campus Samambaia
campus Estrutural
campus São Sebastião
campus Planaltina
campus Riacho fundo

IF Catarinense: 2 campi
campus Rio do Sul
campus Araquari

IF Ceará: 1 campus
campus Iguatu

IF Espírito Santo: 2 campi
campus São Mateus
campus Cachoeiro de Itapemirim

IF Farroupilha: 8 campi
campus Alegrete
campus Frederico Westphalen
campus Júlio de Castilhos
campus Panambi
campus Santo Augusto
campus São Borja
campus São Vicente do Sul
campus Santa Rosa

IF Goiás: 5 campi
campus Águas Lindas de Goiás
campus Anápolis
campus Valparaíso
campus Goiânia
campus Goiânia Oeste

IF Goiano: 3 campi
campus Iporá
campus Urutaí
campus Ceres

IF Maranhão: 2 campus
campus Codó
campus São Luís Centro Histórico

IF Norte de Minas Gerais: 7 campi
campus Januária
campus Araçuaí
campus Salinas
campus Arinos
campus Pirapora
campus Montes Claros
campus Almenara

IF Pará: 2 campi
campus Abaetetuba
campus Tucuruí

IF Paraíba: 2 campi
campus João Pessoa
campus Guarabira

IF Paraná: 5 campi
campus Cascavel
campus Goioerê
campus Jaguariaíva
campus Paranaguá
campus Palmas

IF Pernambuco: 1 campi
campus Olinda

IF Rio de Janeiro: 4 campi
campus Duque de Caxias
campus Realengo
campus Nilópolis
campus Eng. Paulo de Frontin

IF Rio Grande do Norte: 8 campi
campus Ceará Mirim
campus Central
campus João Câmara
campus Parnamirim
campus Rocas
campus Santa Cruz
campus São Gonçalo do Amarante
campus Zona Norte

IF Rio Grande do Sul: 2 campi
campus Restinga
campus Osório

IF Santa Catarina: 1 campus
campus de Araranguá

IF Sertão Pernambucano: 1 campus
campus Ouricuri

IF Sudeste de Minas Gerais: 1 campus
campus Muriaé

IF Sul-Rio-Grandense: 2 campi
campus Pelotas
campus Charqueadas

Total: 74 Campi

 

Além dos Institutos Federais, o balanço até agora aponta 791 escolas ocupadas só no estado do Paraná.

ocupação escolas uberlândia (Foto: Matheus Rezende/Arquivo pessoal)

Um balanço divulgado pelos estudantes do movimento Ocupa Paraná, às 18h40  desta quarta-feira (19), aponta 791 escolas ocupadas em todo o estado. Os estudantes protestam contra a medida provisória 746 que determina uma reforma no ensino médio no país. As ocupações no estado começaram no dia 3 de outubro.

Há ainda 12 universidades e 3 núcleos de Educação ocupados, conforme o movimento.

Algumas universidades também estão ocupadas por manifestantes. Veja a lista completa das ocupações no site do movimento estudantil. (Fonte G1)

 

 

 

PEC 241
A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou no dia 9 de agosto, por 33 votos a favor e 18 contra, a admissibilidade da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) encaminhada pelo governo e que institui um teto para os gastos públicos por até 20 anos.

A PEC 241 impõe um teto ao crescimento dos gastos públicos, que impacta diretamente nos recursos destinados à educação pública; a Medida Provisória 746, que reestrutura o Ensino Médio no Brasil; o Projeto de Lei 257, que retira direitos dos trabalhadores; o quadro orçamentário e financeiro de 2016 e a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2017.

Reforma do ensino médio
As mudanças afetam conteúdo e formato das aulas, e também a elaboração dos vestibulares e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A primeira mudança importante determinada pela medida provisória é que o conteúdo obrigatório será diminuído para privilegiar cinco áreas de concentração: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. Artes, educação física, filosofia e sociologia, deixam de ser obrigatórias.

O segundo destaque da reforma será o aumento da carga horária. Ela deve ser ampliada progressivamente até atingir 1,4 mil horas anuais. Atualmente, o total é de 800, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). Com a medida, a intenção do Ministério é incentivar o ensino em tempo integral e, para isso, prevê programa específico com R$ 1,5 bilhão para incentivar que escolas adotem o ensino em tempo integral.

A previsão do MEC é que turmas iniciadas em 2018 já possam utilizar as mudanças. Até lá, as redes estaduais poderão fazer adaptações preliminares, já que o Ministério da Educação condiciona a implementação de pontos da reforma à conclusão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Fonte: G1

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.