Aprender a dançar? Como? Você engoliu uma labanca e ainda tem dois pés esquerdos

Bom, se você é daquelas pessoas que vão a festas e não conseguem arriscar um passinho que seja. Nunca foi bom com coreografias musicais, parece que quando se joga na pista é o único que não está no ritmo certo. Certamente, já ouviu frases do tipo “Credo, parece que possui dois pés esquerdos!”, ou a clássica afirmação de que talvez tenha engolido uma “labanca”. Seus problemas estão só começando.

Sim, existe um problema com sua genética em relação aos ritmos. Divulgado essa semana na revista Galileu, que uma nova pesquisa publicada no Philosophical Transactions: Biological Sciences pode explicar por que você não se torna o Patrick Swayze na pista de dança. A realidade é que, na maioria das vezes, timidez e falta de destreza são suficientes para justificar o seu péssimo rebolado; mas talvez isso seja sintoma de numa doença recém-descoberta: a “beat-deafness”, ou surdez da batida – em tradução livre.

Análoga ao daltonismo e à surdez, a doença foi descoberta apenas há três anos por um grupo de pesquisadores. Para descobrir, os cientistas realizaram testes em que as pessoas que sofriam dessa deficiência não conseguiam acompanhar a batida de sons. Os erros foram identificados como déficits de ritmos biológicos.

“Notamos que os erros se davam por causa das frequências naturais não operarem em conjunto com as oscilações pulsantes do organismo”, conta Caroline Palmer, autora do estudo. Contudo, ela diz que ainda é uma doença rara: “Muitas pessoas vêm para saber se sofrem desse problema; a grande maioria dá negativo”. Ou seja, não tente justificar seu péssimo estilo de dança.

Agora resta saber se esses cientistas vão tentar buscar uma solução para nós que temos esse pequeno probleminha em relação aos recursos rítmicos. Doença ou não, lembre-se esse corpão duro, essa falta de descompasso… ainda não tem cura. Só lamento…

Claudio Bertode

Formado em Letras pela Universidade de Brasília, Cláudio Bertode é Poeta, Cronista e Educador na Rede Pública e Privada do Estado de Goiás.